Monday, January 17, 2005

Morte na Praia



Dois jovens, um de etnia cigana e outro de raça negra, morreram na sequência de conflitos com outros indíviduos, possivelmente gerados por questões raciais, na praia de Albarquel, em Setúbal. Armando Jorge, de 22 anos e Gonçalo, mais conhecido por “Chiki”, de 17, foram agredidos mortalmente com uma arma branca, no exterior do espaço de diversão nocturna onde supostamente tudo terá começado. O autor do duplo homicídio, alegadamente um indivíduo de nacionalidade brasileira, pôs-se em fuga e encontra-se, até ao momento, em parte incerta.

“Mataram-no com uma catana”, disse à reportagem de “O Crime” Maria de Lurdes da Conceição, tia de Armando Jorge Maia Mendes. Segundo nos disse, o sobrinho, solteiro e sem filhos, era um jovem pacato mas que “como todos os outros se gostava de divertir”. Á porta da morgue do Hospital de S. Bernardo, fomos encontrar, na tarde de segunda –feira, dezenas familiares e amigos do jovem de etnia cigana, à espera que o corpo fosse autopsiado. A dor e a revolta era bem visível no rosto dos pais e irmã mais nova de Armando que, segundo nos disseram, ainda se encontravam em “choque” com o sucedido. Para Lurdes Conceição o duplo homicídio está relacionado com “racismo” entre brasileiros e indíviduos de raça negra, supondo-se que as provocações tenham começado ainda dentro da discoteca. “Estes brasileiros, se calhar estão cá ilegalmente, e vêm matar os nossos com catanas”, desabafa ao nosso jornal. Opinião idêntica à de António, um amigo da família desta vítima, que diz que “tudo se tratou de uma guerra entre negros e brasileiros”, no qual Armando Jorge “foi apanhado”.

Segundo apurou a reportagem de “0 Crime”, tudo aconteceu por volta das 06h30m , após o encerramento do estabelecimento de diversão nocturna, quando um grupo de cerca de 20 indíviduos (de nacionalidade portuguesa, brasileira, de etnia cigana e raça negra) se envolveram em cenas de pancadaria e grande violência verbal no parque de estacionamento da praia. Na sequência dos confrontos Armando Jorge foi apunhalado e Gonçalo “Chiki”, que já se encontrava dentro do seu carro, terá saído em sua defesa acabando também por sucumbir, vítima de ataque com arma branca. Este jovem, morador no bairro de S. Gabriel, tinha sido pai de um menino há cerca de um mês.

Homícida a monte

A GNR de Setúbal foi chamada ao local perto das 07h00, tendo procedido ao isolamento da área tendo interditado o acesso ao local o local da ocorrência entre as 07h e as 10h, salvaguardando a área de todos os curiosos. Excepção feita aos exploradores dos quiosques da praia de Albarquel a quem foi permitida passagem. Quando chegou ao seu estabelecimento, por volta das 09h30m, Berta Reis disse ao “O Crime” que, para além de muita polícia e bombeiros no local, ainda viu os corpos das vítimas enrolados em lençóis, provavelmente, “a aguardar a chegada do Delegado de Saúde”. A proprietária do Quiosque “Berta Reis” disse ao “O Crime” que “devia haver mais policiamento à noite” na zona pois quase de certeza que se irão seguir “actos de vingança” por parte dos amigos das vítimas.

Contactada pelo “O Crime”, a Polícia Judiciária diz que as investigações “continuam a decorrer” não havendo novidades. Na tarde de segunda-feira, segundo informação da PJ, o presumível duplo homícida ainda se encontrava a monte.

Texto e foto: ERG /publicado no Jornal O Crime, edição de 13 de Janeiro de 2005

0 Comments:

Post a Comment

<< Home